Maurice comprava cigarros

marboroReprodução

(PROIBIDO PARA MENORES DE 16 ANOS)

Encontrei Bia na saída da banca Bruno, ali na Paulista. O seu imbatível guarda-chuvas cor de abóbora destacava sua presença. “Oi, quanto tempo”. Mantínhamos uma relação constante. Pelo menos uma vez por semana, nos encontrávamos no flat de Bia, onde passávamos pela madrugada ouvindo músicas e fazendo sexo loucamente.

Mas há dois meses mais ou menos eu me distanciara. Chegava à banca Laura, uma morena desconhecida – cujo nome me seria revelado mais tarde, durante o expresso. Maurice, que apenas Bia conhecia, comprava cigarros atrás de mim. Laura o cumprimentou, Bia fingiu não perceber. Maurice continuava seu processo de recebimento de troco, contando notas e agradecendo Fernanda, a vendedora da noite, que também é professora de Yoga. “Aceita um café?”

Duas horas antes, Bia saía do apartamento de Laura. Há cerca de um mês elas saiam, apaixonadas, duas lindas mulheres, loira e morena espetaculares. Maurice me contaria mais tarde. Faziam de tudo, cheiravam, trepavam, curtiam incensos, maconha e lambuzavam-se com mel.

Ao sair do hall, Bia encontrara Maurice, com que já havia trepado na faculdade, meses antes. Mal disseram ‘boa noite’ ou ‘bom dia’. Maurice subira, era apaixonado por Laura. Bia não sabia.

Eu chegara havia pouco para comprar minhas revistas. Saíra da casa de Mauro às 3h. Mauro é bissexual e meu amigo de infância. Apenas amigo. Soube que Mauro saia com Maurice, isso no café, onde nos encontramos (eu e Maurice) após sairmos da banca.

Bia recusara meu convite e saiu pela rua à esquerda. Laura atravessou a rua à direita, encontraria Mauro, quem havia conhecido na noite anterior num Pub perto da Rebouças, porém isso ninguém sabia.

Laura precisava de fumo e acabara por dormir no apartamento de Mauro. Mesmo gay, resolveu experimentar a carne de Laura, que lhe deu por toda a madrugada.

Conheci Maurice, que comprava cigarros, que era apaixonado por Laura, que comera Bia, quem eu amava, que experimentara meu amigo Mauro, cujo destino lhe fizera transar com Laura instintivamente.

Maurice então se aproxima. Início de sábado, o sol chega fraco sob uma garoa gelada. “Vamos para casa assistir um filme?”. Nego, pago o café e rumo para o estacionamento. Lá espero a troca de turno da Banca. Fernanda entra no carro e vamos passar o final de semana no seu sítio, em Boituva. Fazemos isso há dois meses. Uma paixão enlouquecida regada a sexo medicinal e comida vegana, sem café.

(por Marta)

Somos um grupo secreto. Nosso objetivo é, secretamente, contribuir para fazer do mundo um lugar melhor. Somos todos personagens alter-egos do jornalista Rodrigo Rezende e mais algumas coisas. Para falar com ele, mande um e-mail para papelvegetall@hotmail.com

Anúncios

3 comentários sobre “Maurice comprava cigarros

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s