Série ‘Como Começa O Livro’

incenso

Entre tantas informações azedas do noticiário, tantas informações rançosas disseminadas por redes sociais, tantas informações salgadas salpicadas em mesa de bar, os Cachorros Fumantes buscam maneiras para melhorar o terreiro. Essa é uma série em que, amem ou não, mostramos como começam alguns livros que consideramos.

O objetivo disso? Não sabemos.

O lance aqui é – de alguma forma – poder chutar informação mais reggae no mundo. E quem sabe fazer um gol: despertar reflexão e curiosidade.

 

A Arte da Guerra (Sun Tzu)

Sun Tzu diz: A guerra tem importância crucial para o Estado. É o reino da vida e da morte. Dela depende a conservação ou a ruína do império. Urge bem regulá-la. Quem não reflete seriamente sobre o assunto evidencia uma indiferença condenável pela conservação ou pela perda do que mais se preza. Isso não deve ocorrer entre nós.

 

Admirável Mundo Novo (Aldous Huxley)

Um edifício cinzento e acachapado, de trinta e quatro andares apenas. Acima da entrada principal, as palavras Centro de Incubação e Condicionamento de Londres Central e, num escudo, o lema do Estado Mundial: Comunidade, Identidade, Estabilidade.

 

(por Cachorros Fumantes)

Foto: Cristina Cascais

 

Somos um grupo secreto. Nosso objetivo é, secretamente, contribuir para fazer do mundo um lugar melhor. Somos todos personagens alter-egos do jornalista Rodrigo Rezende e mais algumas coisas. Para falar com ele, mande um e-mail para papelvegetall@hotmail.com

 

Anúncios

4 comentários sobre “Série ‘Como Começa O Livro’

  1. ” Diariamente, entre o fumo e o cheiro a óleo do bairro operário, situado no arrabalde, a sereia da fábrica apitava e vibrava. Das casas escuras saíam à pressa como baratas assustadas, pessoas tristes, de músculos ainda entorpecidos.” – ” A Mãe” de Máximo Gorki.

    Só para dizer que acho a ideia muito interessante.
    Bom dia.

    Curtido por 2 pessoas

  2. Admirável Mundo Novo é um dos meus livros preferidos.
    Do livro que está mais próximo a mim:
    “”To sin by silence when they should protest makes cowards of men.” – Abraham Lincoln. In 1951, I was drafted into the army. My first day at Camp Gordon in the deep Jim Crow South, roll call at 6.00 a.m. went like this: “Jones!” “right here!” “Jackson” ” Right here!” “Longstreet!” ” Right here!” “Lois” “Yo!” (…)”.
    Livro: Damn Good Advice for people with talent do George Lois.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s